Gêmeos siameses: por que ocorrem

Fevereiro 2018

Os gêmeos xipófagos - ou siameses - são gêmeos que nascem colados um ao outro devido a uma mutação genética. Essa condição é rara e acontece em um em cada 100 mil nascimentos.


Como ocorrem os gêmeos siameses

Os gêmeos siameses são originários da fecundação dupla de um óvulo, bem como de outras alterações, que impedem a formação de dois corpos separados.

Casos mais comuns de gêmeos siameses

Os gêmeos siameses podem ser unidos pelo tronco ou pela cabeça, porém, na maioria dos casos, cada um tem seus órgãos funcionamento corretamente. Nesse caso, uma cirurgia para separá-los é a solução mais indicada. Caso compartilhem órgãos como fígado, coração ou pulmão, a cirurgia para separá-los não é permitida, já que um dos dois morrerá.

Diagnóstico dos gêmeos siameses

Os gêmeos siameses são resultado de uma alteração genética que ocorre no início do gravidez e essa mutação pode ser identificada logo na primeira ultrassonografia.

Gêmeos siameses Chang e Eng

O termo gêmeos siameses surgiu por conta dos irmãos Chang e Eng. Os gêmeos nasceram em 1811 em uma região onde hoje se situa a Tailândia e que na época recebia o nome de Sião. Unidos apenas por uma pequena porção do tronco, os dois compartilhavam o fígado e foram descobertos por um empresário estadunidense que os levou ao país onde foram apresentados em circos.

Gêmeos siameses morrem juntos

Gêmeos siameses que não passaram por cirurgias de separação morrem com, no máximo, horas de diferença. O tempo se reduz de acordo com os órgãos compartilhados pelos irmãos. Quando eles dividem o coração, a morte se dá praticamente ao mesmo tempo.

Foto: © Patryk Kosmider - Shutterstock.com

Veja também

Publicado por Natali_CCM. Última modificação: 3 de janeiro de 2018 às 16:24 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Gêmeos siameses: por que ocorrem', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Candidíase: formas de tratamento
Esquizofrenia: tipos, sintomas e tratamento