Quando procurar um sexólogo

Junho 2017

Muitas pessoas possuem problemas sexuais que não ousam falar com ninguém, muitas vezes guardando suas dificuldades por anos. Um sexólogo, especialista em questões sexuais, pode ajudar a resolver o problema de quem não leva uma vida sexual completa.


O que um sexólogo pode fazer

Esses profissionais podem ajudar a recuperar o desejo e o prazer, permitir a satisfação sexual, dar conselhos e resolver certos problemas da vida cotidiana que podem estar atrapalhando a vida sexual da mulher, do homem ou do casal, ajudar a pessoa a recuperar a autoconfiança, estimular o casal a modificar certos hábitos sexuais, como o local onde fazem amor e auxiliar na compreensão de que o amor não é apenas um ato sexual, mas principalmente a relação de compartilhar momentos da vida.

Consultar-se com um sexólogo também permite que os problemas da relação não sejam escondidos e impede que um dos parceiros seja apontado como culpado pelas dificuldades do casal. Além disso, um especialista é capaz de evitar o surgimento de frustrações e comportamentos depressivos provocados pelos problemas sexuais.

O sexólogo também pode desempenhar um papel preventivo, especialmente em jovens, com a abordagem da prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como o HIV. O papel do sexólogo também é indispensável pela insistência na necessidade do uso de preservativos e outros métodos seguros. Um médico sexólogo é capaz de examinar seus pacientes e indicar exames e tratamentos medicamentosos e, em certos casos, cirúrgicos.

Quando consultar um sexólogo

A consulta ao sexólogo pode ser feita sozinho ou acompanhado do parceiro. Quando o problema que aflige especificamente um dos parceiros possui consequências na estabilidade do casal, o profissional pode sugerir a participação do companheiro. As razões principais para um homem ir ao sexólogo são problemas de ereção, ejaculação precoce e dificuldade de ejaculação.

Por outro lado, o número de mulheres que busca auxílio de um sexólogo vem aumentando nos últimos anos pela percepção do papel cada vez mais importante que a sexualidade tem em suas vidas. Elas tomam a decisão de procurar um profissional, principalmente, pela redução da libido, dificuldade de chegar ao orgasmo, desconhecimento de seus corpos e da condução do ato sexual e dores na hora do sexo.

Como escolher um sexólogo

A profissão de sexólogo não é regulamentada. Assim, qualquer um pode exercer a função e se intitular sexólogo. É importante não errar na escolha da pessoa para a qual se vai contar seus problemas mais íntimos. Muitas pessoas não qualificadas, às vezes um charlatão, se aproveitam da fragilidade dos outros para atuar como sexólogas. É difícil ter certeza de estar em boas mãos.

A grande maioria dos sexólogos é muito competente, mas outros podem fazer você perder tempo e dinheiro e não proporcionar nenhuma melhora e mesmo agravar os problemas reportados. Não deixe de questionar o sexólogo consultado sobre suas qualificações, seu método e outras questões relativas à consulta e sua competência.

Médicos e sexologia

Muitos médicos atuam como sexólogos. Há universidades, como a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), que possuem programas de pós-graduação em sexologia humana. Em geral, esses profissionais são ginecologistas, urologistas e psiquiatras que se especializam em sexologia. Como em todas as especialidades médicas, a prática regular da atividade é o melhor caminho para a experiência e o bom desempenho da função. Um médico sexólogo está habilitado a prescrever medicamentos em certas situações, como homens com disfunção erétil. O médico aporta informações e conselhos sobre a sexualidade e pode indicar exercícios para o indivíduo ou casal. Apenas médicos podem realizar exames e prescrever remédios.

Onde buscar um sexólogo

O Sistema Único de Saúde (SUS) não oferece serviço de sexologia, que deve ser buscado em consultórios particulares. O preço das consultas costuma ser alto pela duração dos encontros, entre 45 minutos e uma hora. No entanto, profissionais de psicologia e clínicos gerais envolvidos no Programa Saúde da Família (PSF), implantado em muitas cidades do país, podem auxiliar pessoas sem condições de acesso a consultas particulares.

O que um sexólogo não pode fazer

Antes de mais nada, o sexólogo não pode excitar ou manter relações sexuais com seus pacientes. Jogos sexuais e flerte também estão proibidos. Além disso, apenas profissionais que tenham título de médico estão habilitados a realizar exames e testes físicos em seus clientes.

Foto: © GoneWithTheWind - Shutterstock.com

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por Pedro.CCM. Última modificação: 9 de junho de 2017 às 10:28 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Quando procurar um sexólogo', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.