Microcefalia - Sintomas e diagnóstico

Novembro 2017

A microcefalia é uma doença na qual o bebê nasce com a cabeça significativamente menor que o normal em relação ao restante do corpo. Ela é detectada durante a infância e por isso o diagnóstico precoce da condição é importante para possibilitar algumas formas de tratamento, baseado principalmente na estimulação precoce do bebê.


Causas da microcefalia

Diversas patologias podem causar microcefalia de origem congenital: parada prematura do crescimento durante a gravidez, fluxo sanguíneo insuficiente durante a gravidez e algumas doenças cromossômicas. Desnutrição e abuso de drogas por parte da gestante também aumentam os riscos da doença.

Microcefalia e vírus zika

O surto de microcefalia que afetou o Brasil - e alcançou em menor medida outros países da América do Sul - a partir de 2015 revelou uma associação até então desconhecida entre a infecção pelo vírus zika e esta malformação. Este micro-organismo, transmitido pela fêmea do mosquito Aedes aegypti, é responsável por complicações neurológicas também em adultos, como a síndrome de Guillain-Barré e outras alterações do sistema nervoso central de bebês pela infecção de gestantes.

Estudo recente realizado por pesquisadores do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, também mostrou que bebês expostos ao vírus zika durante a gestação podem nascer com a circunferência craniana dentro dos padrões normais, mas desenvolver microcefalia ao longo do seu primeiro ano de vida. Tal situação obriga que bebês possivelmente expostos ao zika sejam acompanhados de perto até os 18 meses.

Sintomas da microcefalia

Os sintomas da microcefalia são tamanho de crânio inferior ao normal, estimado pela medida do perímetro craniano; forma particular do crânio em casos que não envolvam craniostenose, ou seja, fechamento da calota craniana antes do momento adequado, e retardo mental mais ou menos profundo ao longo da vida.

Diagnóstico da microcefalia

O diagnóstico da microcefalia é relativamente fácil pois se baseia no exame da morfologia do crânio e da circunferência da cabeça. Esse exame é realizado com a ajuda de uma fita métrica que permite a medida do perímetro craniano e a comparação com as curvas da normalidade. O diagnóstico da microcefalia pode também ser feito durante a gravidez, por meio de uma ultrassonografia pré-natal. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) define as medidas-padrão para microcefalia em menor que 31,9 centímetros para meninos e menor que 31,4 cm para meninas. No entanto, a determinação correta da malformação deve ser feita por meio de exames neurológicos e clínicos durante o desenvolvimento do bebê.

Tratamento da microcefalia

De maneira geral, a microcefalia é impossível de corrigir. Em algumas situações, principalmente em casos de craniostenose, uma intervenção cirúrgica visando abrir levemente a caixa craniana em alguns locais é possível para permitir ao cérebro se desenvolver mais ou menos normalmente. Uma grande parte do tratamento consiste também em gerir os sintomas da microcefalia, como o retardo mental e outros problemas de desenvolvimento. Essa gestão é feito fundamentalmente a partir dos preceitos de estimulação precoce no qual profissionais capacitados, em parceria com a família do bebê, atuam para auxiliar a criança a se desenvolver o mais normalmente possível.

Prevenção da microcefalia

Para evitar a microcefalia é importante que a gravidez se desenvolva da melhor forma possível e que a mãe não consuma substâncias tóxicas durante o desenvolvimento do feto, como álcool, tabaco e drogas ilícitas. Já nos casos de transmissão pelo vírus zika em gestantes, o ideal é que mulheres grávidas redobrem os cuidados contra a picada do mosquito Aedes, com uso constante de repelentes, roupas mais longas e instalação de telas de proteção nas camas ou nas janelas. De maneira mais ampla, o combate ao mosquito deve se dar com a eliminação das larvas a partir da limpeza de recipientes que acumulam água parada, como vasos de planta, pneus, garrafas vazias, entre outros.


Foto: © Coffice Vit - Shutterstock.com
Artigo original publicado por DRA. MARNET. Tradução feita por asevere. Última modificação: 29 de novembro de 2016 às 16:32 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Microcefalia - Sintomas e diagnóstico', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.