Isquemia miocardíaca

Faça uma pergunta

Definição

as isquemias miocárdica silenciosa, chamada de infarto do miocárdio silencioso nas formas mais graves, é uma patologia cardíaca que causa um sofrimento das células miocárdicas (células do coração) consecutiva a uma interrupção parcial ou total da circulação de uma artéria do coração, sem que a pessoa afetada sinta qualquer incômodo, dor ou outro sintoma. Ela traduz geralmente uma falência na propagação do fluxo nervoso permitindo sentir dores, ou seja, uma neuropatia, ou aumentando a sua percepção da dor. Os perigos deste problema estão ligados ao seu caráter assintomático: o doença não se dá conta se que está afetado enquanto uma parte das suas células do miocárdio morrem. Encontramos geralmente essa patologia nas pessoas diabéticas, em quem tem complicações de evolução dessa diabetes, a neuropatia, destruindo uma parte de alguns nervos, ou uma diminuição ou até ausência total da sensação de calor em uma zona inervada por esses nervos: neste caso, são os nervos cardíacos.

Manifestações

a doença é por definição assintomática. É por isso que ela é descrita como silenciosa. Mas se os sintomas são ausentes, a doença, quanto a ela, evolui. Ela pode causar um infarto do miocárdio (necrose rápida das células cardíacas).

Diagnóstico

o diagnostico é utilizado após a observação do eletrocardiograma (registro da atividade elétrica do coração) durante exames específicos:
  • Um eletrocardiograma ou ECG;
  • Um ECG de esforço: registrando a atividade cardíaca durante um esforço físico, classicamente sobre esteira rolante ou bicicleta;
  • Um registro Holter-ECG (registro efetuado sobre 24 a 48 horas);
  • Uma cintilografia miocárdica de esforço que poderá visualizar as zonas ou células são lesadas;
  • Uma ultrassonografia de estresse, que compara a atividade cardíaca ao repouso e ao esforço.

É recomendado realizar um desses exames em alguns tipos de pessoas, principalmente os diabéticos de certa idade ou os doentes já há diversos anos, e portadores de outros fatores de risco cardiovasculares como a hipertensão, um excesso de colesterol, o tabaco, a obesidade...

Tratamento

o tratamento vai se apoiar sobre as mesmas modalidades que o da isquemia miocárdica clássica, e dependerá dos resultados desses exames. Se isso já não feito, pois já é previsto na diabetes, o tabaco deve ser interrompido, o regime dietético bem equilibrado, as outras patologias cardiovasculares como o excesso de colesterol ou hipertensão tratadas... O tratamento faz geralmente uso de um tratamento cirúrgico para revascularizar a zona lesada do coração, com às vezes o uso de um stent. Além disso, um tratamento médico adaptado será prescrito em seguida. Um acompanhamento regular é em seguida necessário.
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

Veja também

Publicado por asevere. Última modificação: 16 de dezembro de 2014 às 14:48 por asevere.

Este documento, intitulado 'Isquemia miocardíaca', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.