Disfunção erétil: causas e tratamento

Agosto 2017

Os termos disfunção erétil e pane sexual substituíram nos últimos anos o termo impotência. Ainda usado popularmente, ele era visto como muito negativo e violento por uma grande maioria de médicos e homens que sofrem do problema.


Definição de disfunção erétil

Uma disfunção erétil corresponde a uma dificuldade ou impossibilidade completa de o homem ter ou manter uma ereção suficiente para se engajar em relações sexuais satisfatórias ou uma penetração durável com sua parceira. Ela diz respeito a uma anomalia que pode ocorrer de maneira esporádica, tornar-se regular e até mesmo permanente, em certos casos. Os problemas de ereção surgem com maior frequência com a idade, entre fumantes, homens que consomem álcool e/ou que apresentam sobrepeso.

Sintomas da disfunção erétil

A disfunção erétil pode se manifestar de várias formas: impossibilidade de conseguir uma ereção, impossibilidade de penetrar a parceira ou dificuldade de manter uma ereção rígida e estável durante o sexo. Em alguns homens, a essas dificuldades se somam uma interrupção repentina da ereção antes de se conseguir ejacular durante a penetração.

Repercussões da disfunção erétil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a sexualidade como parte integrante da saúde. Ter uma vida sexual harmoniosa nos faz sentir bem. O tema da disfunção erétil, porém, segue sendo tabu entre muitos homens e até mesmo entre médicos. Com isso, eles perdem tempo, se sentem angustiados e culpados e agravam ainda mais suas dificuldades. A disfunção erétil pode refletir no plano pessoal e também na vida profissional do homem. Uma depressão pode estar na origem de um problema de ereção, por exemplo.

Causas da disfunção erétil

As causas podem ter origem médica ou psicológica ou mesmo uma associação das duas formas. Muitos homens conhecem momentos de impotência passageira por estresse, excesso de trabalho ou cansaço e o temor de que essa experiência se repita afeta o psicológico a ponto de iniciar um círculo vicioso de novas dificuldades e mais angústias, tornando crônica a disfunção erétil.

Causas psicológicas

Entre as causas psicológicas estão o sentimento de não corresponder aos anseios da parceira, pressão social e midiática imposta aos homens para manter a alta performance em todos os aspectos da vida, principalmente nas relações sexuais, depressão, timidez e inibição, homossexualidade reprimida, histórico de traumas ou violência sexual, diminuição do desejo de um ou dois dos parceiros, rotina, desgaste, traições, etc. As disfunções eréteis de origem psicológica não impedem as ereções noturnas e matinais.

Placas de ateroma

As placas de ateroma representam a principal causa de disfunção erétil de origem orgânica. O acúmulo de placas de ateroma nas paredes das artérias que irrigam o pênis pode impedir a circulação normal do sangue e a manutenção da ereção. O termo angina peniana é utilizado para definir essa anomalia. Os principais fatores de risco do ateroma são tabagismo crônico, níveis de colesterol altos, hipertensão arterial e diabetes, que multiplica por três o risco de se ter disfunção erétil.

Insuficiência renal

A insuficiência renal é uma causa muito frequente. Mais de 40% dos homens renais crônicos sofrem de disfunção erétil.

Remédios

Certos medicamentos, como anti-hipertensivos, psicotrópicos e anticonvulsivos têm repercussões sobre o funcionamento do pênis.

Anomalias neurológicas

A disfunção pode ser fruto de um acidente vascular cerebral (AVC), traumatismo na medula espinhal e lesões nos nervos eretores após uma intervenção cirúrgica na próstata.

Doenças degenerativas

A esclerose e o mal de Parkinson podem desencadear disfunção erétil.

Alcoolismo crônico

O alcoolismo crônico está associado a cerca de 50% dos casos de disfunção erétil.

Como tratar a disfunção erétil

Existem tratamentos que podem resolver rapidamente o problema. Apenas falar com seu médico já é capaz de encerrar a situação. Se os sintomas persistirem por mais de três meses, procure o médico novamente. O acompanhamento de um psicólogo também apresenta alta eficácia. O uso de remédios só é aconselhado em caso de depressão já instalada.

Estatísticas da disfunção erétil

Os problemas de ereção são frequentes e aumentam de acordo com a idade. Quase todos os homens experimentam episódios de impotência em algum momento da vida. A disfunção erétil ataca mais de 50% dos homens entre 40 e 70 anos e cerca de 70% entre aqueles com mais de 70 anos. 15% dos homens que sofrem de hipertensão arterial apresentam problemas de ereção. 20% dos problemas são de origem psicológica e 80% provocados por uma anomalia médica.

Panes sexuais

Verifique, antes de tudo, que seu desejo pela parceira continua o mesmo. Atente também para a existência de ereção noturna ou matinal. Um outro elemento importante consiste em saber se as ereções involuntárias e espontâneas surgem durante a noite ou no início do dia. Essas ereções significam que o homem é capaz de tê-las. Essa situação é causada, principalmente, por fatores psicológicos.

Atitude da parceira

A atitude da parceira é importante para a recuperação do homem. Algumas mulheres se sentem culpadas ou em falta com seus companheiros. Outras se envergonham ou se inquietam com a situação. Já outras ficam resignadas e não abordam o problema. A maioria das parceiras adota, porém, uma atitude positiva e leva seus companheiros a se consultarem o mais rapidamente possível.

Escore de Rigidez da Ereção

Este escore é utilizado para medir a rigidez e a qualidade de uma ereção. Ele também avalia a eficácia do tratamento. A pontuação vai de 1 a 4. O escore 1 representa a ausência de ereção. O número 2 conclui que o pênis é suficientemente rígido mas não consegue a penetração. Pontuação 3 indica que o pênis é rígido e consegue uma penetração de qualidade mediana e o valor 4 representa rigidez completa do pênis, significando a ausência de disfunção erétil.

Fale com a sua parceira

Falar com a sua parceira pode desbloquear a situação. Por outro lado, ela pode ser capaz de convencer o parceiro a buscar apoio profissional. Sua presença como conselheira é fundamental para a resolução do problema.

Ejaculação precoce

Nesses casos, a ejaculação ocorre poucos segundos após a penetração. O homem não é capaz de controlar sua excitação e ejacula de maneira involuntária. A ejaculação pode ser um problema da relação. Alguns homens ejaculam precocemente com certas mulheres e não apresentam nenhum problema com outras. A motivação e a paciência são indispensáveis para o tratamento de casos desse tipo. Não se deve perder tempo se isolando. Procure um especialista.

Foto: © sharptoyou - Shutterstock.com

Veja também

Artigo original publicado por . Tradução feita por Pedro.Saude. Última modificação: 8 de junho de 2017 às 12:35 por IsraelCCM.
Este documento, intitulado 'Disfunção erétil: causas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.