Benzodiazepínicos: parar o mais rápido possível

Setembro 2017

No Brasil, o aumento de 40% no consumo de benzodiazepínicos chamou atenção de especialistas para o possível abuso destas substâncias. A maioria dos consumidores não sabem que o uso prolongado de benzodiazepínicos causa dependência. Estas drogas, que atuam no sistema nervoso central, possuem propriedades ansiolíticas, anticonvulsivas e hipnóticas e são amplamente utilizadas no tratamento de distúrbios do sono e ansiedade.


Tipos de benzodiazepínicos

Existem vários grupos de benzodiazepínicos: benzodiazepínicos ansiolíticos (Vératran®, Oxazepam®), benzodiazepínicos hipnóticos (Rohypnol®), benzodiazepínicos anticonvulsivos (Rivotril®, Valium®, Urbanil®) e benzodiazepínicos sedativos anti-H1 (Atarax®).

Riscos do uso de benzodiazepínicos

Os riscos do uso de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados durante um período de vários meses são sonolência diurna, quedas e acidentes, assim como diminuição da memória. O risco de dependência também é muito importante.

Apesar das recomendações estipularem um limite para o consumo destes benzodiazepínicos, muitas pessoas consomem por meses ou mesmo por muitos anos. Estudos científicos já comprovaram que efeitos colaterais deste medicamento podem surgir apenas com poucas semanas de uso.

Duração do uso de benzodiazepínicos

Problemas para dormir

A duração recomendada para o tratamento de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados é de poucos dias para a insônia severa ocasional a quatro semanas para insônia severa transitória.

Ansiedade

A duração recomendada do tratamento de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados é de oito a doze semanas para o tratamento de manifestações graves e/ou incapacitantes de ansiedade.

Avaliar a dependência e interromper o uso

Pessoas são consideradas capazes de descontinuar o tratamento de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados se elas estiverem motivadas a fazê-lo, se não possuem histórico de complicações para parar com medicamentos e podem ser monitorizadas regularmente por um profissional de saúde.

Duração da interrupção

Devemos dizer ao paciente que a interrupção pode durar de três meses a um ano, às vezes até mais, se necessário.

Avaliar casos específicos

As indicações para a prescrição de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados e sua manutenção devem ser avaliadas caso a caso e de acordo com a situação médica, psicológica e social do paciente. De fato, o ritmo e o período da interrupção podem ser adaptados para cada pessoa.

Interrupção progressiva

A interrupção do tratamento deve sempre ser gradual, ao longo de um período de algumas semanas a vários meses.

Consultas regulares

É essencial consultar o seu médico durante a semana seguinte à interrupção do tratamento e considerar ter um acompanhamento regular por até 6 meses.

Obter uma redução da dosagem

Mesmo que o objetivo seja parar de consumir os benzodiazepínicos e medicamentos relacionados, o que às vezes é difícil de obter, conseguir diminuir a dosagem já é muito positivo.

Foto: © pressmaster - Shutterstcok.com.

Veja também

Publicado por Joana.Saude. Última modificação: 4 de agosto de 2017 às 15:28 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Benzodiazepínicos: parar o mais rápido possível', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.