Benzodiazepínicos: parar o mais rápido possível

Julho 2017

No Brasil, o aumento de 40% no consumo de benzodiazepínicos chamou atenção de especialistas para o possível abuso destas substâncias. A maioria dos consumidores não sabem que o uso prolongado de benzodiazepínicos por mais de um mês causa dependência e vício.

Estas drogas que atuam no sistema nervoso central possuem propriedades ansiolíticas, anticonvulsivas e relaxante muscular hipnóticas e são amplamente utilizadas no tratamento de distúrbios do sono e ansiedade.


Existem vários grupos de benzodiazepínicos: benzodiazepínicos ansiolíticos (Vératran®, Oxazepam®, etc.), benzodiazepínicos hipnóticos (Rohypnol®, etc.), benzodiazepínicos anticonvulsivos (Rivotril®, Valium®, Urbanil®) e benzodiazepínicos sedativos antiH1 (Atarax®).

Apesar das recomendações estipularem um limite para o consumo destes benzodiazepínicos a um longo prazo, muitas pessoas consomem por meses ou mesmo por muitos anos. Mas o risco de efeitos colaterais aumentam quando o consumo é superior a algumas semanas.

Riscos do uso de benzodiazepínicos

Os riscos do uso de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados durante um período de vários meses são sonolência diurna, quedas e acidentes, assim como diminuição da memória. O risco de dependência também é muito importante.

Duração do uso de benzodiazepínicos

Problemas para dormir

A duração recomendada para o tratamento de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados é de poucos dias para a insônia severa ocasional a quatro semanas para insônia severa transitória.

Ansiedade

A duração recomendada do tratamento de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados é de oito a doze semanas para o tratamento de manifestações graves e/ou incapacitantes de ansiedade.

Avaliar a dependência e interromper o uso

Pessoas são consideradas capazes de descontinuar o tratamento de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados se elas estiverem motivadas a fazê-lo, se não possuem histórico de complicações para parar com medicamentos e podem ser monitorizadas regularmente por um profissional de saúde.

Duração da interrupção

Devemos dizer ao paciente que a interrupção pode durar de três meses a um ano, às vezes até mais, se necessário.

Avaliar casos específicos

As indicações para a prescrição de benzodiazepínicos e medicamentos relacionados e sua manutenção devem ser avaliadas caso a caso e de acordo com a situação médica, psicológica e social do paciente. De fato, o ritmo e o período da interrupção podem ser adaptados para cada pessoa.

Interrupção progressiva

A interrupção do tratamento deve sempre ser gradual, ao longo de um período de algumas semanas a vários meses.

Consultas regulares

É essencial consultar o seu médico durante a semana seguinte à interrupção do tratamento e considerar ter um acompanhamento regular por até 6 meses.

Obter uma redução rápida

Mesmo que o objetivo seja parar de consumir os benzodiazepínicos e medicamentos relacionados, o que às vezes é difícil de obter, conseguir diminuir a dosagem já é muito positivo.

Foto: © pressmaster - Shutterstcok.com.

Veja também

Publicado por Joana.Saude. Última modificação: 12 de julho de 2017 às 11:00 por Natali_CCM.
Este documento, intitulado 'Benzodiazepínicos: parar o mais rápido possível', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.