Queratose pilar: causas e tratamento

A queratose pilar é um distúrbio da pele afeta 40% da população mundial. É caracterizada por manchas ásperas e pequenas, parecidas com acnes, que aparecem com frequência nas regiões dos braços, coxas, nádegas e, com menos frequência, nas bochechas. O problema pode causar também o ressecamento da pele, deixando-a com o aspecto áspero. Normalmente são brancas, mas também podem ser vermelhas e não costumam coçar ou doer.


Causas da queratose pilar

A queratose pilar é causada pelo acúmulo de queratina nos poros, formando manchas e pequenos caroços, semelhantes à acne. A queratina é uma proteína fibrosa que ajuda na formação da estrutura do corpo e na defesa da pele contra substâncias nocivas ou infecções. Ela é útil também na preservação do cabelo, pois constitui 90% do fio e ajuda a bloquear a abertura do folículo piloso.


A razão do acúmulo de queratina na pele ainda é desconhecida. Os médicos apontam que ele pode ocorrer em associação com doenças genéticas ou outras condições de pele, como dermatite atópica. A queratose pilar também ocorre em pessoas saudáveis.

Sintomas da queratose pilar

O sintoma mais evidente da queratose pilar é a formação de manchas pelo corpo com aspecto bastante similar à acne. Elas geralmente são bem ásperas. Diferentemente da acne, no entanto, a queratose pilar não costuma afetar tanto a região do rosto.

Queratose pilar coça

Não, as manchas da queratose pilar não coçam nem provocam outras reações como dor, sensibilidade ao toque ou ardência, por exemplo.

Diagnóstico da queratose pilar

Não existem exames laboratoriais capazes de diagnosticar da doença. O diagnóstico é feito através da análise dos sintomas físicos na pele. Pode ser feita também uma avaliação do histórico clínico do paciente e um questionário para avaliar os sintomas e sinais.

Como tratar a queratose pilar

A queratose pilar geralmente se resolve por conta própria. No entanto, alguns pacientes buscam ajuda médica por se sentirem afetados pela aparência da pele e terem receio da expansão da doença. Apesar de não apresentar sintoma doloroso e não oferecer riscos à saúde, a queratose pilar é difícil de tratar. Recomenda-se o uso de hidratantes, óleos ou esfoliantes para reduzir o depósito de queratina na pele, mas nenhum tratamento acaba definitivamente com o problema. Em alguns casos, é possível fazer tratamento a laser. A boa notícia é que a queratose pilar não é grave e, muitas vezes, desaparece sozinha depois de determinado tempo.

Queratose pilar e glúten

A intolerância ao glúten, que recebe o nome de doença celíaca, é uma condição crônica que tem como um dos seus sinais a queratose pilar. O acúmulo de queratina nos poros do paciente ocorre principalmente em torno das coxas e nádegas.

Foto: © Suzanne Tucker - Shutterstock.com
Publicado por Joana.Saude. Última modificação: 9 de maio de 2017 às 09:31 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Queratose pilar: causas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Icterícia: causas, sintomas e tratamento
Por que somos cada vez mais alérgicos?