Coma

Faça uma pergunta

Definição

o coma se define como uma alteração do estado de consciência na qual o paciente não consegue mais reagir a estímulos. De fato, o coma não permite mais que a pessoa tenha uma vida relacional com o seu entorno. Em paralelo a essa ausência de consciência, as funções vitais são conservadas. O coma pode ser causado por um traumatismo tendo afetado o cérebro, a uma intoxicação médica (ou alcoólica, onde falamos de cota etílico), a um tumor do cérebro ou a um acidente vascular cerebral por exemplo.

Manifestações

existem diferentes manifestações do coma em função do estágio: a escala de Glasgow permite quantificar a gravidade do coma elaborando um grau de 3 (coma profundo) a 15 (estado de consciência normal).
Essa nota avalia:
  • A abertura dos olhos avaliada sobre 4 com 4 pontos para abertura espontânea, 3 para abertura sob demanda, 2 para abertura com dor, e 1 para ausência total de abertura;
  • A resposta verbal cotada sobre 5 com 5 para um discurso orientado, 4 para um discurso confuso, 3 para propostas incoerentes com algumas palavras reconhecidas, 2 para sons sem palavras compreensíveis e 1 para um mutismo total;
  • A resposta motora sobre 6 com 6 para um ato corretamente efetuado sob comando, 5 para uma reação localizada diante da dor, 4 para uma manobra não adaptada, 3 para uma reação de flexão em resposta à dor, 2 para uma resposta em extensão à dor, 1 para ausência total de movimento.

Diagnóstico

o diagnóstico é feito em função da nota de Glasgow se baseando na avaliação clínica. Exames complementares são realizados em casos de coma para procurar a causa e são orientadas de acordo com as diferentes suspeitas clínicas evocadas pelo contexto:
  • Exame de sangue;
  • Scanner cerebral;
  • IRM em caso de traumatismo;
  • Punção lombar se suspeitamos de uma meningite.

Tratamento

em caso de coma, o cuidado médico com urgência é indispensável. A pessoa deve ser colocada sob acompanhamento para assegurar a manutenção das suas funções vitais (circulação sanguínea e portanto batimentos cardíacos e respiração pulmonar). Uma nota inferior a 8 requer uma intubação para garantir a função respiratória do paciente. O paciente sendo incapaz de se alimentar, é alimentado por perfusão sanguínea ou sonda digestiva enquanto o coma persistir. Tentamos evitar a aparição de escaras e edema cerebral.

Evolução: A evolução é imprevisível e depende sobretudo da causa. Os comas causados por uma intoxicação medicamentosa são geralmente de bons prognósticos. A evolução desses tendo uma origem traumática depende sobretudo da idade (as pessoas mais jovens possuem mais chances do seu estado melhorar). É possível ver pessoas que ficam em um coma profundo durante diversos anos. O coma pode às vezes ser mantido artificialmente em alguns casos utilizando moléculas sedativas.
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

Veja também

Publicado por asevere. Última modificação: 16 de dezembro de 2014 às 14:48 por asevere.

Este documento, intitulado 'Coma', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.