0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Aspirina: ácido acetilsalicílico


Faça uma pergunta
O ácido acetilsalicílico é conhecido também como aspirina, a primeira marca já comercializada. Com propriedades antipiréticas, analgésicas, anti-inflamatórias e anticoagulantes, é utilizado para abaixar a febre, reduzir as dores e inflamações, além de melhorar a circulação sanguínea. Sua venda não requer receita médica, porém representa riscos e o medicamento não é recomendado para alguns tipos de dores. A ingestão desse medicamento pode causar problemas gástricos e deve ser evitada até o terceiro trimestre de gestação ou em caso de úlceras.


Definição de ácido acetilsalicílico

O ácido acetilsalicílico é uma molécula orgânica, que confere a alguns organismos vegetais um poder aromático. Ela está presente em algumas frutas e cogumelos. Seu uso também pode ser com finalidades antissépticas ou como conservante alimentar. Sua ação analgésica é utilizada também em tratamentos dermatológicos contra acne e verrugas.

Como funciona o ácido acetilsalicílico

Primeiramente, a aspirina funciona como anti-inflamatório. Ela regula as secreções de prostaglandina - substância produzida quando o corpo é atacado. Ao regular essa substância, a aspirina contém a inflamação, reduzindo dores e febre. A ação do ácido acetilsalicílico provém da absorção estomacal e difusão das moléculas a todo o corpo.

Ação anti-inflamatória

A aspirina tem um princípio anti-inflamatório. Recomenda-se, portanto, a ingestão de 1 a 3 gramas por dias, dependendo do problema.

Tempo de ação

O tempo de ação desse medicamento varia entre 30 e 60 minutos, dependendo de sua fórmula.

Quando não se deve ingerir aspirina

Este medicamento não deve ser ingerido em casos de problemas digestivos no estômago e úlcera duodenal, bem como se o paciente tiver doenças hemorrágicas ou problemas no fígado, rins e coração.

Aspirina na gestação

Em caso de gestação ou aleitamento, não se recomenda ingerir ácido acetilsalicílico sem recomendação médica. O medicamento não deve ser ingerido do início ao sexto mês de gravidez.

Alergia ao ácido acetilsalicílico

Não se deve utilizar esse medicamento em caso de alergia à aspirina ou a outro remédio de mesma classe (como ibuprofeno). Pessoas com asma ou pólipos nasais também não devem ingerir o ácido acetilsalicílico, por risco de surgimento da síndrome de Widal. Para evitar reação alérgica ou superdosagem, recomenda-se cuidado ao fazer uso do medicamento, bem como atenção a seus princípios ativos. A aspirina pode interagir com diversos medicamentos como anticoagulantes, FANS ou remédios para gota. Nesses casos, o acompanhamento médico é fundamental.

Ingestão diária de aspirina

Em casos de tratamentos diários com aspirina de baixa dosagem (menos de 300 mg) para prevenir males circulatórios ou acidentes cardiovasculares, não se deve ingerir o ácido acetilsalicílico para aliviar dores sem aviso médico.

Efeitos adversos

A aspirina eleva o risco de sangramento, tanto em doses baixas quanto em tratamentos prolongados. Por isso, deve-se avisar o médico em caso de cirurgias. Pelos mesmos motivos, não se deve utilizar aspirina para tratar dores menstruais. Seu uso deve ser interrompido em caso de vômito com sangue, sangue nas fezes, fezes escuras ou sinais de hemorragia gastrointestinal, erupcão cutânea ou dificuldades respiratórias, vertigens, dor de cabeça e vermelhidão nas orelhas.

Como tomar o ácido acetilsalicílico

A aspirina pode ser ingerida nas doses de 325 mg, 330 mg, 350 mg, 400 mg, 450 mg, 480 mg, 500 mg ou 1.000 mg. A dose recomendada varia entre 500 mg e 1 g para adultos em cada dose, que pode ser repetida a cada quatro horas, se necessário. A dose máxima de ácido acetilsalicílico é de 3 g por dia (2g para idosos). Para evitar o surgimento de efeitos indesejados recomenda-se evitar uma dose acima da recomendada.


Foto: © Natan86 - Shuttertock.com
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

Veja também