Soluço crônico: causas e tratamento

Agosto 2017

O soluço é um fenômeno fisiológico provocado pela contração brusca e coordenada dos diferentes músculos respiratórios, como diafragma, intercostal externo e escalenos. Essa contração involuntária e incontrolável é seguida por um bloqueio, muito breve, das vias aéreas superiores. O soluço é uma atividade fisiológica normal em todas as idades, mas pode trazer algumas complicações em casos de soluço crônico.


Soluço normal

O soluço normal, forma mais comum, corresponde a contrações fisiológicas breves, isoladas, involuntárias e corriqueiras que passam normalmente de maneira espontânea e sem mesmo a pessoa notar. Um episódio de soluço dura de alguns segundos a até três minutos. O fenômeno fisiológico é normal e não exige tratamento.

Causas do soluço normal

O soluço normal frequentemente se deve ao modo de vida ou costumes alimentares do indivíduo, como ingestão excessiva de alimentos ou alimentar-se muito rápido, consumo excessivo de bebidas gasosas ou álcool. Outras causas frequentes são mudança brusca de temperatura, tabagismo, tosse e estresse.

Soluço agudo e persistente

O soluço agudo se caracteriza por contrações repetitivas, durante ao menos 48 horas, que podem ser ruidosas e relativamente dolorosas para o paciente. O soluço agudo também tende a desaparecer espontaneamente apesar da duração bem mais prolongada que o soluço normal. Fatores alimentares ou o efeito colateral de alguns medicamentos são as causas mais frequentes.

Tratamento do soluço agudo

O soluço agudo é tratado com a eliminação da causa do problema, por exemplo, restabelecendo hábitos alimentares saudáveis ou interrompendo o uso de determinada medicação. Medidas simples como prender a respiração ou inclinar a cabeça para trás também são eficazes. Por fim, em casos mais complicados, uma intervenção médica, com a aplicação de uma sonda nasal na parede posterior da faringe, pode ser realizada.

Soluço crônico

O soluço crônico corresponde a contrações involuntárias dos músculos respiratórios que se prolongam por mais de 48 horas. Esse tipo de soluço também é chamado de rebelde ou refratário por não desaparecer espontaneamente. O soluço crônico pode ser particularmente incapacitante e exigir tratamento terapêutico para identificação da causa. O soluço crônico pode ser sintoma de uma doença ou complicação de algum problema mais grave.

Causas do soluço crônico

O soluço crônico é normalmente causado por uma anomalia esofágica como uma hérnia hiatal ou esofagite. Ele também pode ser provocado por diversas doenças - benignas ou mais sérias - como condições abdominais, gástricas ou hepáticas, refluxo gastroesofágico, parasitoses e câncer de pulmão ou dos rins. Doenças pulmonares e neurológicas também podem desencadear quadros de soluço crônico.

Diagnóstico do soluço crônico

Uma endoscopia digestiva alta é o exame mais recomendado para estabelecer a causa do soluço crônico, pois permite explorar o esôfago em busca de eventuais anomalias. Uma análise de pH também pode ser prescrita para determinar a quantidade de refluxo ácido. Já a manometria esofágica permite avaliar pressões no esôfago.

Tratamento do soluço crônico

O tratamento do soluço crônico visa combater a causa do problema. Diferentes tipos de medicamentos podem ser prescritos segundo a causa, como inibidores da bomba de prótons (para tratar refluxo), anti-histamínicos, relaxantes musculares, antieméticos e, em casos mais raros, antidepressivos tricíclicos, antiepilépticos e neurolépticos. Um tratamento cirúrgico pode ser proposto caso uma anomalia esofágica seja responsável pelo problema.

Foto: © Piotr Marcinski - 123RF.com

Veja também

Publicado por Pedro.Saude. Última modificação: 8 de junho de 2017 às 12:29 por IsraelCCM.
Este documento, intitulado 'Soluço crônico: causas e tratamento', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.