Combate ao Aedes: 10 minutos contra dengue

Faça uma pergunta
A proximidade do verão e as recorrentes epidemias de dengue nessa época do ano já são motivo mais do que suficiente para a população se preocupar com a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Neste ano, porém, o surto de microcefalia no Brasil provocado pelo vírus zika, outro patógeno transmitido pelo Aedes, torna ainda mais necessária a atenção de todos para evitar a reprodução do mosquito e impedir a infecção pelo zika de grávidas e outras pessoas, que podem ser acometidas pela síndrome de Guillain-Barré, também associada ao novo vírus.

Por conta disso, é importante que cada um faça a sua parte e impeça a proliferação do Aedes em sua casa. Para tanto, não são necessários grandes gastos ou trabalhos exaustivos. Desenvolvido por especialistas dos laboratórios de Fisiologia e Controle de Artrópodes Vetores e de Transmissores de Hematozoários do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), no Rio de Janeiro, a campanha 10 Minutos contra Dengue prega a execução de ações simples, uma vez por semana, para eliminar focos de larvas do mosquito e bloquear sua proliferação.

Ação semanal contra o Aedes

As ações da campanha 10 Minutos contra Dengue devem ser realizadas apenas uma vez por semana pois o ciclo de vida do vetor - do ovo ao mosquito adulto - leva de 7 a 10 dias. Assim, tratando dos focos de reprodução a cada sete dias já é possível impedir a sua proliferação de maneira segura e sem demandar grandes esforços de cada um.

Checagem dos focos do Aedes

As ações 10 Minutos contra Dengue se constituem na verificação dos possíveis focos de reprodução do mosquito dentro de casa. No total, os especialistas do IOC chamam atenção para 13 possíveis locais onde o mosquito pode depositar seus ovos e iniciar um novo ciclo de desenvolvimento do vetor. Todos os locais a ser checados podem acumular água limpa e parada, ambiente ideal para a reprodução do mosquito.

São eles: caixas d'água ou cisternas, calhas, filtros de água, ralos, pneus velhos, bandeja de ar condicionado, bandeja de geladeira, vasos de planta, vaso sanitário, baldes e garrafas, lonas sobre objetos ou toldos, piscinas.


Escolha um dia da semana, de preferência sábado ou domingo, quando há mais tempo livre, e confira todos esses pontos. Retire a água acumulada de vasos e pneus, vire baldes e garrafas de cabeça para baixo. Limpe calhas e ralos. Na piscina, adicione cloro, o que já é suficiente para evitar a proliferação do mosquito. Tampe as cisternas e estique as lonas para evitar acúmulo de água.

No mais, estimule parentes e vizinhos a fazerem o mesmo em suas casas e, em caso de terrenos abandonados próximos à sua residência, informe as autoridades de saúde para que agentes comunitários possam visitar o local e eliminar os focos do mosquito ali.

Repelente e telas

Para além do combate à proliferação do mosquito, também devemos nos prevenir de possíveis picadas. Para isso, passe repelente diariamente e, em áreas de alta incidência do mosquito e das doenças transmitidas por ele, durma sob telas. Essas recomendações devem ser ainda mais estritas entre grávidas.

Foto: © Luciano Cosmo - Shutterstock.com
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

Veja também