Sintomas e tratamento da fibromatose plantar

Faça uma pergunta
A fibromatose plantar, também conhecida como doença de Ledderhose, é uma doença benigna rara que afeta a fáscia plantar. Conheça mais sobre esta condição.


Definição de fibromatose plantar

A fibromatose plantar é uma patologia que afeta a planta do pé e se caracteriza por um espessamento da fáscia plantar, tecido fibroso situado sobre os tendões flexores dos dedos. Nódulos ou pequenas protuberâncias se infiltram sob os tensões flexores provocam os sintomas da fibromatose. Há pacientes que combinam esta doença com surgimento de nódulos em outros tendões, como nas mãos e no pênis. A doença é mais comum em homens de 30 a 50 anos e, em cerca de 20% dos casos, há coexistência com outras fibromatoses.

Causas da fibromatose plantar

Apesar de identificada há mais de 100 anos, a fibromatose plantar ainda não tem causas claramente definidas. No entanto, existem alguns fatores de risco associados a ela, tais como diabetes e doença hepática alcoólica. Além disso, há casos que surgem após cirurgias ortopédicas ou imobilização com gesso.

Sintomas da fibromatose plantar

Os sintomas da doença de Ledderhose são surgimento de nódulos na planta do pé, dor intensa ao apoiar os pés no chão, incômodo e sensação de corpo estranho, desvio da parte de trás do pé para o interior e deformação dos dedos em garra, ou seja, um posicionamento mais curvado dos dedos do pé.

Diagnóstico da fibromatose plantar

Para realizar o diagnóstico, o médico precisa realizar exame físico para encontrar possíveis nódulos na planta do pé e buscá-los também em outras regiões do corpo, bem como colher a história relatada pelo paciente quanto aos sintomas. Para eliminar outras doenças possíveis, o profissional de saúde também deve prescrever um exame de ultrassom ou ressonância magnética. Outros procedimentos não costumam ser necessários.

Tratamento da fibromatose plantar

Quando o diagnóstico é feito de maneira precoce, o tratamento recomendado é conservador, com realização de fisioterapia, infiltrações de corticoide e uso de anti-inflamatórios. Além disso, é crucial que o paciente busque prevenir fatores de risco, controlando a diabetes, reduzindo o consumo de álcool e perdendo peso. Já nos quadros mais avançados, a cirurgia é a única solução possível. Nestes casos, retira-se uma parte ou toda a fáscia plantar.

Foto: © Arve Bettum - Shutterstock.com