Anti-histamínicos: indicações e riscos

Dezembro 2017

Diversos medicamentos podem atuar no combate às alergias e auxiliar pessoas alérgicas a tolerar melhor seus sintomas. Entre eles, destacam-se os anti-histamínicos, remédios que combatem os efeitos da histamina, substância inflamatória liberada pelo corpo durante uma reação alérgica.


Indicações de anti-histamínicos

Os anti-histamínicos são prescritos por médicos especialistas para controlar diferentes sintomas de reações alérgicas, tais como rinite, espirros frequentes, urticária, conjuntivite, eczema, entre outros. Por outro lado, os compostos anti-histamínicos não apresentam eficácia contra a asma, que deve ser tratada com outras classe de medicamentos.

Anti-histamínicos para alergia de pele

Algumas vezes, reações alérgicas tem como principal sintoma a urticária, condição que provoca coceira e lesões pelo corpo. Na maioria dos casos, a urticária desaparece de forma espontânea dentro de horas ou dias. No entanto, o uso de anti-histamínicos é recomendado para interromper o ciclo da histamina e controlar a coceira do paciente, que só agrava o problema e aumenta o tempo de recuperação.

Anti-histamínicos para tosse seca

Certos casos de tosse seca tem origem alérgica. Para estas ocasiões, anti-histamínicos podem acelerar a recuperação do paciente. No entanto, também é importante que o paciente se afaste da origem da crise alérgica, evitando, por exemplo, a poeira ou um animal. Antes disso, é essencial que a causa da tosse seja corretamente identificada já que casos de tosse seca também podem ter outras origens.

Efeitos colaterais dos anti-histamínicos

Os medicamentos anti-histamínicos podem provocar uma série de efeitos colaterais, mas o principal e mais frequente deles é a sonolência. Apesar dos chamados anti-histamínicos de segunda geração apresentarem taxas bem menores de efeitos colaterais, ainda não é recomendado que pacientes que pretendem dirigir façam uso desse tipo de remédio.

Contraindicações dos anti-histamínicos

A principal contraindicação de medicamentos anti-histamínicos é para gestantes e mulheres amamentando. Grávidas ou lactantes que sofram com crises alérgicas frequentes devem informar tal problema ao ginecologista logo na primeira consulta para definir formas de controle das alergias.

Anti-histamínicos naturais

Alguns produtos naturais podem auxiliar no controle das crises alérgicas e atuar também na prevenção do problema em alguns casos. Cebola e maçã, por exemplo, são ricas em quercetina, substância que age no ciclo da histamina e alivia sintomas de reações alérgicas. A urtiga também pode ser utilizada, assim como alimentos ricos em vitamina C, como laranja e demais frutas cítricas.

Foto: © Portogas D Ace - Shutterstock.com
Artigo original publicado por p.horde. Tradução feita por Pedro.CCM. Última modificação: 19 de setembro de 2017 às 14:17 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Anti-histamínicos: indicações e riscos', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.