Visão dupla: diplopia

Abril 2018


Diplopia significa ter visão dupla quando há somente um objeto. Na maioria dos casos, as causas são oftalmológicas ou neurológicas. Quando a condição afeta apenas um olho, é chamada de diplopia monocular. Quando ela se desenvolve em ambos os olhos, situação mais comum, é chamada de diplopia binocular.

Causas da diplopia

A diplopia pode ser devido a uma lesão na córnea, íris ou cristalino, como numa catarata que está começando. Ela também pode ser um sintoma de uma lesão dos nervos responsáveis pelo movimento dos olhos, como a paralisia destes nervos: neste caso, deve se suspeitar de uma lesão neurológica potencialmente grave. O uso de certos medicamentos, como os hipnóticos, também pode causar diplopia. Visão dupla também pode ser associada com catarata, estrabismo, enxaqueca, olho roxo e paralisia microvascular dos nervos cranianos .

Detecção e tratamento precoce

É importante lembrar que muitas pessoas não sabem que têm uma doença nos olhos, porque frequentemente não há sinais ou sintomas de alerta, ou presume-se que a visão ruim é parte do processo natural de envelhecimento. A detecção e tratamento precoces de problemas oculares são a melhor maneira de manter uma visão saudável durante toda a vida. Em muitos casos, a cegueira e perda de visão podem ser prevenidas.

Acompanhamento com oftalmologista

É recomendável que os adultos que não apresentem sinais ou fatores de risco de ter uma doença ocular façam um exame oftalmológico completo aos 40 anos. Em pessoas de qualquer idade com sintomas ou em risco de desenvolver doença ocular, é recomendado que elas visitem o seu oftalmologista para determinar a frequência com que seus olhos devem ser examinados.


Foto: © Vladimir Gjorgiev - Shutterstock.com
Publicado por Joana.Saude. Última modificação: 29 de dezembro de 2017 às 16:44 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Visão dupla: diplopia', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Otite média secretora: novo tratamento
Anestesia geral: cuidados e riscos