Epinefrina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Faça uma pergunta
A epinefrina, também conhecida como adrenalina, é um medicamento indicado para situações de urgência como parada cardiorespiratória e choque anafilático.

Utilizada amplamente em hospitais sob a forma e solução injetável, com ampolas de 1 ml, a epinefrina também é vendida em farmácias com receita médica, sob a forma de seringa pré-cheias com 0,15 ml ou 0,30 ml. Pode ser comercializada com os nomes Adrenalina, Efrinalin ou Epipen.


Para que serve (indicação)

A epinefrina pode ser utilizada em reações de anafilaxia ou choque anafilático, crises asmáticas graves e pouco responsivas às medidas terapêuticas habituais e no controle de pequenas hemorragias cutâneas.


Ela é muito útil, ainda, no momento de diminuir a velocidade de absorção vascular de anestésicos locais, reduzindo as chances de toxicidade e prolongando a ação da anestesia. Também serve como suporte hemodinâmico em situações de parada cardiorespiratória ou estados de choque.

Como aplicar (posologia)

A caneta de Epinefrina, utilizada por muitos pacientes com reações alérgicas diversas, já vem com a dose correta de aplicação do medicamento, de acordo com a indicação médica. Essa dose única deve ser aplicada na coxa.

A solução injetável de Epinefrina pode ser administrada via intramuscular, subcutânea ou intravenosa. No último caso, deve ser aplicada de forma lenta e diluída (1 para 10.000 ou 1 para 100.000).

Em casos de choque anafilático, a indicação é de uma dose de 0,5 ml em uma solução de 1/1000 por via intramuscular, sendo repetida a cada 5 minutos quando necessário. Para crianças, as doses variam de acordo com idade e peso.

No suporte intensivo cardiovascular, a recomendação é de uma dose intravenosa de 1 mg (10 ml de uma solução de 1 / 10.000). A dose pode ser repetida quantas vezes for necessário, respeitando um intervalo de 2 a 3 minutos.

Em casos de exacerbação aguda da asma, a epinefrina pode ser administrada na forma intramuscular ou subcutânea. A dose indicada, no caso de adultos, é de 0,3 a 0,5 mL de solução aquosa de 1/1000 de 4 em 4 horas ou de 6 em 6 horas.

Quando utilizada com anestésicos locais para prolongar o seu efeito, a epinefrina deve ser aplicada em uma concentração de 1/200.000. Importante: a epinefrina não pode ser empregada na anestesia de dedos, orelhas, nariz, pênis ou bolsa escrotal, devido ao fato de ter um potencial efeito isquêmico e poder ocasionar necrose tecidual.

Na contenção de processos hemorrágicos externos, a epinefrina pode ser empregada na diluição de 1/1000 é a normalmente utilizada embebida em algodão ou gaze ou mesmo na forma de spray.

Importante: esse medicamento pode apresentar sérios riscos à vida do paciente se for administrado por conta própria. Por isso, é essencial fazer uso dele apenas sob recomendação médica e nunca se medicar por conta própria.

Efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais da epinefrina são ansiedade, tremores, cefaleia, palpitação, taquicardia (muitas vezes seguida de dor anginosa), arritmias (extra-sístoles, taquicardia ventricular ou supraventricular), hipersalivação, hiperglicemia, fraqueza, zumbido, sudorese excessiva, dispneia e frio nas extremidades corporais.

Altas doses administradas (superdosagem) podem gerar arritmias cardíacas graves, um súbito aumento da pressão arterial, gerando hemorragia cerebral, edema pulmonar e isquemia de extremidade. Potente causadora de isquemia, a epinefrina pode causar gangrena, especialmente se administrada em extremidades como dígitos, nariz, orelha e pênis.

Contraindicações

A epinefrina é contraindicada em casos de hipersensibilidade à epinefrina ou aos componentes da fórmula, bem como em pacientes com dano cerebral orgânico, doença cardiovascular, hipertensão, colapso circulatório ou hipotensão induzida por fenotiazina, diabetes mellitus, glaucoma de ângulo fechado ou predisposição a, hipertireoidismo, doença de Parkinson, feocromocitoma diagnosticado ou suspeito, desordens psiconeuróticas, suscetibilidade a simpatomiméticos, choque cardiogênico traumático ou hemorrágico.

Composição

Cada ml de solução injetável de epinefrina contém 1 mg de epinefrina e veículo (bissulfito de sódio, ácido clorídrico, água de osmose reversa).

Foto: © Gyvafoto - Shutterstock.com