Candidíase cutânea

Faça uma pergunta
A candidíase cutânea ou infecção por cândida é um problema da pele e dos apêndices (ou seja, unhas e cabelos) causado por uma proliferação importante de cândida, uma levedura cuja espécie mais conhecida é a Candida albicans. Na maioria das vezes, o diagnóstico da candidíase cutânea é feito apenas com exame clínico por um especialista. No entanto, alguns casos podem exigir a coleta de uma amostra para teste laboratorial. O tratamento permite obter bons resultados, mas não previne inteiramente as reincidências.


Sintomas da candidíase cutânea

A candidíase cutânea, favorecida pela umidade, se manifesta pela aparição de intertrigo, ou seja, vermelhidões recobertas por uma camada branca, essencialmente situadas nas dobras do corpo e com um aspecto fissurado no fundo das dobras. As principais dobras se situam entre os seios, nas nádegas, virilha e entre os dedos. Nas unhas, a infecção por C. albicans se apresenta em forma de inchaço doloroso.

Diagnóstico da candidíase cutânea

Um exame de amostra é suficiente para diagnosticar a candidíase cutânea. Ele deve ser realizado em casos de dúvida após o exame clínico e permite tanto análise direta da infecção através do estudo da natureza das leveduras ou colocação em cultura para identificação do fungo responsável pela infecção cutânea.

Tratamento da candidíase cutânea

A avaliação dos fatores que favorecem a candidíase cutânea acompanham o tratamento. O mesmo é feito com a administração sistemática de antifúngicos locais adaptada à localização da candidíase cutânea. Em paralelo ao tratamento antifúngico, o paciente deve utilizar produtos de higiene adaptados, assim como sabões neutros ou alcalinos, de acordo com o caso. As unhas infectadas devem ser cortadas. Cremes e loções são necessários para tratar as unhas ou até mesmo para tratamento prolongado por via oral.

Prevenção da candidíase cutânea

A prevenção das micoses em geral e da candidíase cutânea em particular torna os riscos de reincidência menores. É necessário evitar a transpiração excessiva e observar uma higiene corporal restrita mas sem excessos. A utilização de sabões alcalinos é desejável. Enfim, é fortemente aconselhado não andar com os pés descalços em lugares públicos.

Foto: © Jiang Zhongyan - Shutterstock.com
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

Veja também