Hipotireoidismo: sintomas e tratamento

Faça uma pergunta
O hipotireoidismo se caracteriza por uma insuficiência na atividade da glândula tireoide, responsável por secretar os hormônios T3 e T4. A tireoide se localiza no pescoço, logo à frente da traqueia. O hipotireoidismo pode ser uma doença congênita ou se desenvolver ao longo da vida. Mulheres acima dos 50 anos são as mais afetadas pelo problema.


Hipotireoidismo e carência de iodo

Antigamente, uma das principais causas do hipotireoidismo - e de outras condições da tireoide - era a carência em iodo do paciente. Hoje em dia, no entanto, o sal vendido em supermercados recebe aporte de iodo, o que praticamente eliminou casos de bócio e hipotireoidismo provocado pelo déficit da substância no Brasil.

Sintomas do hipotireoidismo

O hipotireoidismo provoca um quadro de desaceleração funcional do organismo. Assim, o paciente com hipotireoidismo tende a apresentar sintomas como cansaço, sonolência, perda de tônus muscular, dificuldades de concentração, bradicardia (redução do ritmo cardíaco), tendência à inatividade, ressecamento da pele e perdas de memória, entre outras ocorrências.


Existe também possibilidade de perda de cabelo e, principalmente entre as mulheres, redução do desejo sexual e ciclo menstruais bastante irregulares, que podem chegar a ser interrompidos por alguns meses.

Hipotireoidismo engorda

O hipotireoidismo pode provocar ganho de peso no paciente devido à desaceleração do metabolismo, o que reduz o gasto calórico apesar do paciente ter um regime alimentar saudável e equilibrado. Além disso, portadores do hipotireoidismo têm maior tendência ao sedentarismo e a falta de prática regular de atividade física também não contribui para a perda de peso.

Hipotireoidismo congênito

Como não há no Brasil deficiência congênita de iodo, a maior parte dos casos de hipotireoidismo congênito são causados pela ausência da glândula tireoide. O problema pode trazer graves consequências ao desenvolvimento físico e mental do bebê e, portanto, é essencial que o hipotireoidismo seja detectado ainda na gestação. Com o tratamento de reposição hormonal iniciado de forma precoce, o bebê não apresentará nenhum sintoma ou lesão neurológica.

Hipotireoidismo e gravidez

Mulheres grávidas que tenham hipotireoidismo também colocam seus bebês em risco. Entre os problemas possíveis estão aborto espontâneo, anemia, pré-eclâmpsia e parto prematuro. Nas crianças, o problema pode causar malformações cardíacas, atraso no desenvolvimento mental e baixo peso ao nascer. Por isso, mulheres com a doença devem mantê-la controlada antes de engravidar e realizar exames de sangue regulares durante a gestação. Além disso, aquelas sem a doença podem desenvolvê-la ao longo da gravidez, o que exige também a realização de exames para checagem.

Tratamento do hipotireoidismo

O tratamento do hipotireoidismo é feito por meio de terapia de reposição hormonal para que as funções do organismo voltem ao funcionamento normal. É necessário que o paciente faça visitas regulares ao médico para ajuste da dose e acompanhamento do tratamento.

Hipotireoidismo tem cura

O hipotireoidismo não tem cura. O tratamento deve ser realizado ao longo de toda a vida depois da doença ser diagnosticada e sua interrupção pode trazer consequências importantes para o paciente, em especial aqueles que sofrem de hipotireoidismo congênito.

Foto: © staras - Shutterstock.com
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde