Tipos e complicações da meningite

Dezembro 2017

A meningite é a inflamação das membranas que recobrem o sistema nervoso central, chamadas de meninges. Enquanto as meningites de origem viral são relativamente frequentes e benignas, a origem bacteriana da doença é mais rara, mas potencialmente mortal.


Diferentes agentes infecciosos

Diferentes agentes infecciosos podem estar implicados na aparição de uma meningite. A inflamação pode ter origem viral. Os vírus estão relacionados a 70% dos casos de meningite e esta forma da doença é geralmente benigna.


Já a meningite bacteriana é menos frequente e mais grave, podendo comprometer o prognóstico vital do paciente. Em alguns casos, a meningite bacteriana apresenta sinais neurológicos idênticos a um quadro de encefalite, sendo chamado de meningoencefalite. Em casos muito raros, um parasita pode ser o causador da meningite.

Sintomas comuns da meningite

Todas as formas de meningite têm como sintomas febre alta, dores de cabeça intensas, vômitos, limitação da elevação dos membros inferiores (sinal de Kernig) e flexão involuntária das pernas durante a flexão da nuca (sinal de Brudzinski). No entanto, o sinal clínico mais marcante da meningite é a rigidez da nuca. De maneira geral, pacientes com meningite não são capazes de, deitados, colar o queixo ao peito.

Fatores de risco da meningite

A idade é o principal fator de risco da meningite, com bebês e idosos correndo maiores riscos em caso de ocorrência da doença. Debilidades do sistema imunológico e passar longos períodos em ambientes fechados também aumentam as chances de contaminação.

Formas mais graves da meningite bacteriana

Meningite meningocócica

A meningite meningocócica é causada por um germe presente na garganta que é transmitido exclusivamente pela inalação de gotículas de saliva projetadas no ar pelo nariz ou garganta de uma pessoa infectada. A contaminação com esta forma da doença, portanto, exige contato aproximado com o portador do germe.

Existem vários tipos de meningococo, como B e C, na maioria dos casos, e A e W135, mais raros. A meningite meningocócica é uma patologia grave e que necessita de tratamento de urgência pelo risco à saúde do paciente.

Meningite pneumocócica

A meningite pneumocócica é causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae (também chamada de pneumococo). O modo de contaminação é similar ao da meningite meningocócica, mas também pode ocorrer por contato com objetos contaminados por secreções respiratórias.

A meningite pneumocócica é mais comum durante os períodos mais frios do ano e afeta principalmente bebês, crianças até cinco anos e idosos. Um traumatismo craniano ou cirurgia otorrinolaringológica também são fatores de risco para a transmissão desta forma de meningite.

Outras formas de meningite bacteriana

Numerosos tipos de germes podem estar relacionados com a aparição da meningite, como o bacilo de Koch, Haemophilus influenzae, estreptococos do grupo B, Escherichia coli, Listeria monocitogenes e estafilococos, este normalmente contraído por infecção hospitalar, depois de cirurgia especialmente.

Sinais de alerta

Alguns sinais de alerta de uma meningite são púrpura (manchas vermelhas) repentina, febre, transtornos respiratórios, sensibilidade excessiva à luz, mãos e pés frios, palidez, choque séptico e quadro de confusão, agitação, convulsões e transtornos de consciência, chamado de síndrome encefalítica.

Urgência médica

Em caso de presença de alguns dos sintomas ou sinais mencionados neste artigo, deve-se chamar pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no disque 192, para remoção imediata do paciente para uma unidade de saúde e início do atendimento.

Diagnóstico da meningite

A efetuação de uma punção lombar permite confirmar o diagnóstico a partir da análise de uma amostra do líquido cefalorraquidiano. Uma tomografia também pode ser indicada em casos de presença de sinais neurológicos e que possam ser indício de complicações intracranianas.

Tratamento da meningite

A meningite bacteriana exige tratamento com antibióticos. A determinação sobre qual medicamento utilizar deve ser feita pelo médico especialista com base nos resultados obtidos pela punção. Outras infecções - por vírus e parasitas - têm formas de tratamento distintas, porém sempre baseadas no uso de medicamentos.

Complicações da meningite

Se não for tratada rapidamente, a meningite pode provocar a morte do paciente e algumas outras complicações, tais como septicemia (infecção generalizada ou sepse), estado de coma, transtornos de memória, paralisia dos nervos cranianos, transtornos de comportamento, retardo mental e epilepsia.

Vacinação contra meningite

Algumas vacinas atualmente disponíveis de graça no calendário de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) protegem contra determinadas formas da meningite. A vacina pentavalente confere proteção contra meningite causada pelo bacilo H. influenzae do tipo B. A vacina meningocócica conjugada imuniza a criança contra a meningite meningocócica do grupo C. Por fim, a vacina pneumocócica conjugada protege contra a forma da doença provocada pelo S. pneumoniae.

© Pikul Noorod - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 19 de setembro de 2017 às 14:28 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Tipos e complicações da meningite', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Útero retrovertido: fertilidade e gestação
Exame de fezes: para que serve