Como fazer kombucha e os benefícios da bebida

Abril 2018

A kombucha, às vezes também grafada como kombuchá, é uma bebida probiótica proveniente da fermentação de um chá adoçado. Essa bebida milenar, inicialmente consumida na China, ganhou grande impulso mundial nos últimos anos por conta de suas propriedades e por servir como substituto saudável aos refrigerantes.


Origem da kombucha

Originária da China, onde há relatos de seu consumo no século I a.C., a kombucha se disseminou pelo sudeste da Ásia e Oriente Médio, havendo inclusive uma citação bíblica a uma "bebida de vinagre", que muitos consideram ser a kombucha, Sua primeira onda de expansão para o Ocidente se deu durante os anos 1960 através do movimento hippie. Nos últimos anos, o consumo de kombucha ao redor do mundo voltou a sofrer grande expansão e atualmente o mercado da bebida movimenta milhões de dólares todos os anos.

Benefícios da kombucha

A kombucha é rica em uma série de elementos como enzimas e vitaminas. Por conta disso, há diversos benefícios associados ao seu consumo. Entre eles destacam-se regulação do trânsito intestinal, desintoxicação e combate aos radicais livres, redução de inchaços pelo corpo, aumento da capacidade de absorção de nutrientes pelo intestino e melhora do estado geral de saúde com aumento da imunidade.

Kombucha emagrece?

Ainda não existem pesquisas científicas definitivas sobre a relação entre consumo de kombucha e perda de peso. Esse efeito seria causado pelo aumento das capacidades metabólicas do organismo, que passaria a queimar gorduras de maneira mais rápida. No entanto, nenhum produto sozinho pode emagrecer. Para isso, é sempre necessária a combinação entre dieta balanceada e prática regular de atividade física.

Contraindicações

Em primeiro lugar, o processo de fermentação torna a bebida levemente alcoólica (teor de, no máximo, 1%). Sendo assim, crianças, pessoas que sofram de alcoolismo e portadores de doença hepática grave não devem consumi-la. A bebida também não é segura para gestantes e mulheres amamentando. Portadores de hemofilia, diabetes, síndrome do cólon irritável e diarreia crônica não devem beber a kombucha.

Porém, o principal risco do consumo da kombucha diz respeito à possibilidade de contaminação da bebida por bactérias e fungos patogênicos o que, dependendo do micro-organismo, pode inclusive ser fatal. Por isso, é muito importante consumir a kombucha de fabricantes confiáveis ou tomar muito cuidado durante o preparo caseiro da bebida.

Como tomar?

Algumas pessoas recomendam o consumo da kombucha em jejum, logo após acordar. Porém, não há nenhuma comprovação científica de que essa abordagem traga melhores efeitos do que sua ingestão ao longo do dia. Por isso, a única indicação importante é, assim como em outras bebidas com alto teor de cafeína, evitar excessos e, no caso específico da kombucha, estar atento a possíveis efeitos colaterais do seu consumo.

Como fazer kombucha

Apesar de haver um bom número de marcas industrializadas de kombucha, muitas pessoas preferem preparar a kombucha em casa. O modo de fazer é simples, mas exige paciência para aguardar o processo de fermentação.

Atenção: para evitar contaminações, você deve lavar muito bem as mãos e retirar qualquer tipo de acessório. Na sequência, esterilize com água fervente e vinagre branco todos os utensílios que serão utilizados durante o processo. Use potes de vidro e panelas de aço inoxidável ou cerâmica.

Para começar, ferva 3 litros de água filtrada. Na sequência, adicione entre seis e oito sachês de chá (preto ou verde, de preferência) e a quantidade de açúcar que você usaria para adoçar o chá. Deixe a infusão esfriar, retire os sachês e passe o chá para um pote de vidro. Depois, adicione a colônia de bactérias (chamada de zoogleia ou scoby), que pode ser encontrada em lojas de produtos naturais.

Cubra o pote com um papel toalha e prenda com elástico. Não use tampas, pois a mistura precisa de oxigênio. Por fim, guarde o pote em um local escuro e que não precisará ser movido ao longo dos próximos dias. Essa fermentação leva de 7 a 10 dias, dependendo principalmente da temperatura do local. O processo estará concluído quando a colônia, que tem textura gelatinosa, tiver crescido.

Após o fim da fermentação, você já pode consumir o chá de kombucha. Porém, a maioria das pessoas prefere realizar uma segunda fermentação para adicionar sabores mais agradáveis à bebida. Nesta fase, vale a criatividade. É possível misturar qualquer fruta, vegetal ou especiaria à kombucha. Para isso, preencha de 20% a 30% de uma garrafa ou pote de vidro com os ingredientes escolhidos e complete o conteúdo com a kombucha. Tampe o recipiente e coloque-o novamente no ambiente escuro da fermentação por até cinco dias. Nesse período, as bactérias presentes no chá (a colônia não será adicionada) vão desprender gás carbônico e a bebida ficará parecida com um refrigerante.

Foto: © Natalya Osipova - 123RF.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 12 de março de 2018 às 08:15 por Bruna.CCM.
Este documento, intitulado 'Como fazer kombucha e os benefícios da bebida', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Benefícios do abacate
Os benefícios do kiwi para a saúde