0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Linfadenopatia na axila: sintomas e tratamento

A linfadenopatia na axila é uma inflamação dos gânglios linfáticos localizados nessa região do corpo. As principais causas desse problema são a doença da arranhadura do gato, bem como infecção ou irritação local da pele nas axilas. Motivos mais sérios como o câncer, por exemplo, também devem ser considerados.


Definição de linfadenopatia axilar

A linfadenopatia de axila corresponde ao aumento de um ou mais gânglios linfáticos situados nas axilas. Responsáveis por drenar a mão, o braço, o tórax lateral, as paredes abdominais e a parte lateral dos seios, esses gânglios podem assumir a forma de nódulos, que, quando pequenos, não podem ser palpados.

Causas da linfadenopatia nas axilas

Essa modificação dos gânglios pode ser causada por condições benignas, tais como infecções ou doença da arranhadura do gato, ou por doenças mais graves, como leucemia ou tuberculose. Por isso mesmo, é fundamental consultar um especialista em caso de surgimento de nódulos nas axilas para se fazer um diagnóstico correto.

Diagnóstico da linfadenopatia axilar

Na primeira consulta com um especialista, ele realizará um exame clínico para avaliar o tamanho, densidade e sensibilidade do gânglio. Se houver infecção no mesmo braço, basta esta avaliação do médico para fazer o diagnóstico. Em outros casos, no entanto, exames complementares são realizados. Eles podem englobar exame de sangue, raio-X, mamografia ou punção ganglionar.

Sintomas da linfadenopatia nas axilas

duas formas de sintomas da linfadenopatia axilar: quadro de queimação e dor ou condição indolor e nódulos de aspecto endurecido. No primeiro caso, em geral, a causa é uma infecção pontual. Já na segunda situação, a presença destes nódulos pode gerar a suspeita de doenças mais graves, como câncer de mama, doença de Hodgkin, sarcoidose, tuberculose, doença autoimune ou doença sanguínea.

Tratamento da linfadenopatia na axila

O tratamento se baseará na causa da inflamação dos gânglios. Infecções bacterianas pontuais, por exemplo, se curam com uso de antibióticos. Já se o diagnóstico apontar câncer de mama ou leucemia, o tratamento poderá envolver cirurgia de retirada dos nódulos e/ou sessões de radioterapia e quimioterapia. Em alguns casos, uma dissecção axilar, espécie de limpeza dos gânglios afetados, pode ser necessária.

Foto: © Artem Furman - Shutterstock.com

Veja também

0 Comentário