Tumor no ovário

Faça uma pergunta

Definição

o ovário é um órgão específico da mulher, fazendo parte do seu aparelho genital. Ele é o reservatório dos folículos primordiais. Esses folículos estão na origem da liberação nas trompas, a cada mês, de um óvulo pronto a ser fecundado por um espermatozoide. Esse encontro dará origem ao embrião, que se implantará no útero e fará começar uma gravidez. O ovário pode ser afetado por lesões evolutivas, chamadas de cistos. Entre eles, alguns estão ligados ao funcionamento normal do ovário: eles são chamados de cistos funcionais. Os outros são qualificados como orgânicos. Entre os orgânicos, alguns podem ter um caráter benigno, enquanto outros são malignos: esses últimos são cânceres de ovário.
Inicialmente, não é possível prever o valor funcional ou orgânico, benigno ou maligno, pois os sintomas são os mesmos. Enquanto isso, essa distinção deverá ser feita para procurar os melhores tratamentos para esses cânceres. O caráter maligno é mais comumente suspeitado em um paciente na menopausa, e o câncer de ovário afeta principalmente as mulheres com mais de 50 anos.

Manifestações

os sintomas podem ser múltiplos. Os pacientes sofrem do tumor de ovário, e posteriormente o câncer de ovário pode apresentar:
  • Dores abdominais baixas qualificadas como dores pélvicas;
  • Uma sensação de peso na parte baixa do ventre chamada de pesar pélvico;
  • Metrorragias, ou seja, sangramentos vaginais surgindo fora das menstruações, ou na mulher na menopausa que não tem mais ciclo menstrual.

Às vezes, o tumor do ovário é assintomático, o que explica sua descoberta potencialmente tardia.

Diagnóstico

Se a descoberta for por acaso, durante um exame realizado por outro motivo, sem que tenha havido algum sinal evocador, ou diante da presença de sinais clínicos, um ultrassom é realizado. Ele pode ser feito de maneira externa na parte baixa do abdômen, mas às vezes uma sonda entra na vagina: falamos de ultrassonografia transvaginal. Esse ultrassom permite estudar o tumor, seu tamanho, seu formato, seus contornos e geralmente seus critérios, de identificar uma lesão benigna ou um câncer do ovário. Ela pode ser completada por um scanner ou IRM. Em caso de cisto provavelmente funcional, um novo ultrassom, realizado três meses mais tarde, mostrará geralmente seu desaparecimento. Em caso de persistência ou de suspeita de câncer, o ovário deve ser retirado: falamos de ovariectomia. O tumor deve portanto ser analisado para identificar sua natureza, e em caso de câncer certificado, um exame de extensão deve ser realizado. Isso consiste em diversos exames complementares permitindo pesquisar se o câncer se estendeu a outros órgãos.

Tratamento

o tratamento do câncer de ovário é essencialmente cirúrgico. Geralmente o exame de extensão, o ovário pode ser retirado e às vezes, é o útero inteiro que é retirado. Falamos de histerectomia total com anexectomia quando as duas trompas e os ovários são retirados. Os gânglios afetados serão objetos de um tratamento, chamado de curetagem. Geralmente, uma quimioterapia é associada e, bem mais raramente, uma radioterapia.

Prevenção

a prevenção é possível apenas para algumas formas familiares de câncer do ovário: uma retirada dos dois ovários e das duas trompas pode ser considerada nessas condições.
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

Veja também

Publicado por asevere. Última modificação: 16 de dezembro de 2014 às 14:48 por asevere.

Este documento, intitulado 'Tumor no ovário', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.