Bebês prematuros

O termo prematuro designa os nascimentos ocorridos antes da 37ª semana de gestação. Uma gestação normal chega ao fim na semana 40. A prematuridade é a principal causa de morte infantil em todo o mundo. Segundo a ONG Prematuridade.com, o Brasil é o 10º colocado no ranking mundial de nascimentos de prematuros, com 300 mil casos por ano, o equivalente a 11,7% do total de nascimentos do país.


Causas do nascimento prematuro

Diversas causas podem aumentar o risco de nascimento prematuro. Entre elas estão gestação múltipla, malformação congênita do útero, tabagismo da gestante, diabetes gestacional, grávidas com hipertensão, antecedentes de aborto espontâneo, gravidez por inseminação artificial, infecções vaginais, febre elevada, hemorragias, ruptura prematura das membranas e exposição a algumas substâncias. Por fim, gestantes adolescentes ou acima dos 35 anos também apresentam risco aumentado de dar à luz de maneira prematura.

Sinais do nascimento prematuro

Os principais sinais de que há chances de um nascimento prematuro é a presença de contrações regulares do útero e modificações no colo do útero antes da semana 37 de gravidez. Na medida do possível e garantindo a segurança da mãe e do bebê, deve-se tentar prolongar a gestação ao máximo para que a criança nasça a termo.

Nascimento a termo

O nascimento a termo se refere ao nascimento do bebê dentro do tempo ideal, que vai da 38ª até 42ª semana de gestação.

Viabilidade do nascimento

A partir da 22ª semana de gestação, a criança pode sobreviver em caso de nascimento. Normalmente, os casos de nascimento prematuro ocorrem entre as semanas 33 e 37. Quando o parto ocorre antes disso, há risco elevado que o bebê nasça com anomalias neurológicas de intensidade variada.

Aumento dos nascimentos prematuros

A taxa de nascimentos prematuros tem crescido em todo o mundo por diversas causas. As principais delas são envelhecimento das gestantes, que tem seu primeiro filho cada vez mais tarde, e adoção mais difundida de técnicas de fertilização in vitro, outro fator de risco da prematuridade.

Parto prematuro espontâneo

Os partos prematuros espontâneos são provocados por causas naturais que não podem ser evitados, tais como antecipação do parto em gestações múltiplas, malformações ou retardo no crescimento do feto. Além disso, eles podem estar ligados a uma doença da gestante, como infecções urinárias ou uterinas, diabetes e anomalias na placenta.

Parto prematuro provocado

O parto prematuro pode ser provocado pela equipe médica por razões médicas caso o prosseguimento da gestação coloque em risco a saúde da mãe e/ou do bebê. O parto pode ser antecipado por conta de hipertensão arterial da futura mãe ou pela ruptura prematura das membranas que protegem o feto no útero.

Como evitar o parto prematuro

Para evitar um parto prematuro, é indispensável que realize o pré-natal de maneira correta, comparecendo a todas as consultas e realizando os exames recomendados. A gestante também deve procurar seu médico imediatamente em caso de febre associada a contrações ou qualquer outro sintoma importante. A prevenção do parto prematuro também passa por repouso adequado da gestante, evitar grandes esforços físicos e não tomar remédios sem prescrição do especialista.

Foto: © Gelpi - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 11 de dezembro de 2017 às 14:52 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Bebês prematuros', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.
Câncer de palato: sintomas e tratamentos
Anti-histamínicos: indicações e riscos