Goji berry: toxicidade e possíveis riscos

Outubro 2017

O consumo de goji berry tem crescido muito no Brasil e no mundo nos últimos anos. Quem indica o produto, enquadrado na categoria dos superalimentos por sua composição, garante que ele é capaz de melhorar a saúde por sua ação antioxidante. No entanto, testes recentes têm apontado para possíveis perigos do uso da fruta. Para evitá-los é importante atentar para a sua procedência e local da compra, dando preferência por lojas especializadas em produtos naturais.


O que é o goji berry

O goji berry é uma fruta silvestre de cor vermelha encontrada em regiões da China, na cordilheira do Himalaia, Tibete e Mongólia. Existem muitas variedades da fruta mas é a espécie Lycium barbarum, que contém todas as propriedades atribuídas a este superalimento.

Em geral, o goji berry é vendido em lojas de produtos naturais, supermercados e sites em sua forma seca, que lembra uma uva passa de cor vermelha. Seu sabor é amargo e se assemelha com o de outras frutas vermelhas.

A fruta é tradicionalmente consumida pelos povos do Himalaia, conhecidos pela saúde e longevidade notáveis. Após anos de observação, especialistas em nutrição concluíram que a peculiar resistência a doenças e ao envelhecimento dos habitantes da região se deve às condições de vida em altitudes a cerca de 4 mil metros do nível do mar e à alimentação, baseada na ingestão diária de vegetais e do goji berry.

Composição do goji berry

O goji berry possui uma série de substâncias em sua composição, o que lhe garente a condição de superalimento. No pequeno fruto há aminoácidos, minerais - zinco, ferro, cobre, cálcio e germânio -, proteínas, carotenoides antioxidantes - luteína e zeaxantina -, vitamina C, ácidos graxos essenciais - ômega 3 e ômega 6 -, betasitosterol, polissacarídeos, flavonoides e fisalina.

Toxicidade do goji berry

Em meio ao boom do fruto em todo o mundo, pesquisadores espanhois, ligados à Organização de Consumidores e Usuários (OCU) da Espanha, decidiram testar as diferentes marcas de goji berry ofertadas. Ao todo, 10 amostras de produtos foram analisados e todas elas não cumpriram os requisitos mínimos para comercialização: grande quantidade de pesticidas, alguns deles ilegais na Europa, e metais pesados como mercúrio, chumbo, cromo e cádmio.

No entanto, os especialistas alertam que seria necessário o consumo de quilos da fruta para se sofrer uma intoxicação alimentar aguda provocada pelo goji berry. Os efeitos a longo prazo do consumo destes elementos, porém, são desconhecidos e imprevisíveis.

Riscos dos pesticidas encontrados

Ao todo, 13 pesticidas foram encontrados nas amostras da fruta recolhidas pelos pesquisadores. Destas, três substâncias são proibidas na União Europeia. Estes pesticidas podem provocar, entre outros efeitos, irritação do trato respiratório e da pele e provocar alterações endócrinas.

Foto: © draconus - Shutterstock.com
Publicado por Pedro.CCM. Última modificação: 11 de setembro de 2017 às 10:37 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Goji berry: toxicidade e possíveis riscos', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.