Relação entre Alzheimer e hereditariedade

Dezembro 2017

O mal de Alzheimer geralmente não é hereditário e, por isso, quando há um caso da doença na família, nem sempre os demais membros têm riscos de desenvolver a doença.


Casos em que o risco do Alzheimer aumenta

Em alguns casos, há genes que podem ser herdados dos pais e elevam os riscos de desenvolver o mal de Alzheimer. Eles, no entanto, precisam estar associados a outros fatores para que a doença se manifeste. Elementos importantes são idade avançada, falta de exercícios físicos, diabetes ou traumatismo craniano.

Alzheimer Precoce ou Doença de Alzheimer Familiar

Esses dois tipos de Alzheimer podem passar de pais para filhos e costuma apresentar os primeiros sintomas entre os 30 ou 40 anos. Muito raro, esse tipo de doença acomete pouquíssimas pessoas.

Formas de prevenir o Alzheimer

O mal de Alzheimer pode ser prevenido com um estilo de vida saudável, além de manter o cérebro ativo, fazendo exercícios que o estimulem, além de manter a pressão arterial e o nível de açúcar no sangue controlados.

Sintomas do Alzheimer

Pessoas portadoras do Alzheimer geralmente se mantêm no chamado “estado de alerta”, o que faz com que elas respondam a estímulos internos e externos. Sintomas como a perda de memória e distúrbios de comportamento podem também ser associados ao envelhecimento. O quadro costuma evoluir rapidamente, atingindo o seu pico entre cinco a dez anos.

Foto: © Ruslan Guzov - Shutterstock.com
Publicado por Natali_CCM. Última modificação: 27 de outubro de 2017 às 12:21 por Natali_CCM.
Este documento, intitulado 'Relação entre Alzheimer e hereditariedade', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.