Prolapso uterino: sintomas e diagnóstico

Faça uma pergunta

O prolapso do útero e da vagina é causado pelo relaxamento do sistema músculo-esquelético de órgãos sexuais femininos internos, especialmente os músculos do assoalho pélvico. Isso faz com que os dois órgãos mudem de posição. Veja nesta dica informações sobre as causas e formas de tratamento para esta condição médica.

Sintomas do prolapso uterino

Pode aparecer uma sensação de pressão na área do baixo ventre e de corpo estranho na vagina. Muitas vezes também aparecem dores na região sacral após algum esforço físico. Estas dores são causadas pela força exercida pelo prolapso do útero e da vagina no aparelho de suspensão.


A incontinência urinária involuntária aparece aproximadamente em metade das pacientes e ocorre aumento da vontade de urinar, embora apenas pequenas quantidades de urina sejam eliminadas. A urina que permanece na bexiga eleva o risco de infecções no trato urinário. Mulheres na menopausa que sofrem de inflamações do útero e da bexiga devem avaliar se têm prolapso uterino ou vaginal.

Retocele e destruição da flora vaginal

Em caso de prolapso da parede vaginal posterior, podem aparecer dificuldades para defecar, devido à retocele (prolapso do reto). As consequências são constipação ou sensação desconfortável de peso no intestino.

Quando o prolapso uterino é maior, parcial ou totalmente através da vagina, causando abertura da entrada da vagina ou das partes salientes dos órgãos sexuais internos, ele destrói a flora vaginal. Isso pode mudar o fluxo vaginal normal e ocasionar infecções vaginais. Também podem se formar úlceras pela pressão dos órgãos em prolapso.

Diagnóstico do prolapso uterino

Ginecologistas realizam diagnósticos do prolapso do útero e da vagina. Para fazê-lo, podem realizar um exame de palpação e/ou observação com espéculo para avaliar o assoalho pélvico e a posição dos órgãos genitais em repouso e com pressão (manobra de Valsalva). O objetivo é determinar a extensão do prolapso. Em caso de prolapso, o útero já está voltado para fora ou fica saliente diante de uma pressão.

Além disso, o especialista pode realizar um exame retal para verificar se há prolapso da parede vaginal posterior, e subsequente risco de retocele. Os estudos podem ser concluídos com um exame de urina e ultrassonografia da bexiga e rins.

Foto: © Егор Власенко - 123RF.com
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde