Diarreia: remédios sem prescrição

Novembro 2017

A diarreia passageira em adultos pode ser tratada com medicamentos simples, que aliviam os sintomas cansativos e, muitas vezes, debilitantes.


Remédios contra a diarreia

A escolha de um medicamento para a diarreia é feita com base no estado geral de saúde da pessoa. Há variantes importantes que podem indicar um medicamento e não outro. Em geral, são recomendados remédios que contenham apenas um princípio ativo e, naturalmente, deve-se respeitar a dose, frequência e duração do tratamento indicado na bula. No caso de diarreia em adultos, nunca se deve administrar remédios contra a diarreia por mais de dois dias sem prescrição médica.

Alimentação e higiene no combate à diarreia

Mesmo tomando um medicamento contra a diarreia, não se pode esquecer das medidas de higiene e alimentação indispensáveis, tais como lavar bem as mãos, ingerir bastante água e consumir mais alimentos como arroz, banana e limão, que agem como suporte ao remédio e eliminam o problema em alguns casos, especialmente os mais leves.

Leitura da bula dos medicamentos para diarreia

É fundamental ler bem a bula do remédio e seguir as instruções indicadas.

Ação dos remédios para diarreia

Em casos de diarreia, os medicamentos têm o objetivo de regular a velocidade do trânsito intestinal, diminuindo as contrações do intestino e, consequentemente, a frequência das evacuações do paciente.

Loperamida no combate à diarreia

A loperamida é a base da maioria dos medicamentos contra a diarreia que não necessitam de prescrição. Eles, porém, não devem ser ingeridos sem conhecimento médico no caso de pessoas que tenham doenças graves no fígado. Cansaço, vertigens e sonolência estão entre os efeitos colaterais desta droga. Ainda é possível associar esse medicamento à simeticona, quando a diarreia vem acompanhada de gases, dores abdominais, dores e flatulências. Pessoas com males do intestino tais como Doença de Crohn ou colite hemorrágica do reto não devem ingerir esses medicamentos sem prescrição médica.

Remédios que protegem o intestino

Os medicamentos protetores do intestino agem diretamente nessa região, absorvendo o gás produzido ali. A ingestão desses remédios deve ser evitada se associada a outros tratamentos, já que pode reduzir a sua eficácia.

Substâncias e princípios ativos

Os medicamentos à base de carvão ativo ou atapulgita não devem ser ingeridos em casos de redução do trato gastrointestinal, expansão - parcial ou total - do intestino grosso ou por pessoas com patologias debilitantes ou sem mobilidade. O parecer médico é obrigatório nesses casos, assim como na ingestão de medicamentos cujo princípio ativo é povidona ou goma éster.

Remédios naturais contra a diarreia

A fitoterapia e a homeopatia são alguns dos tratamentos não medicamentosos que podem ser utilizadas no tratamento da diarreia aguda ou leve em adultos.

Probióticos contra a diarreia

Bebidas lácteas fermentadas e probióticos ajudam a reconstruir a flora intestinal depois de casos de diarreia. Eles também ajudam a eliminar toxinas, provenientes de bactérias danosas ao intestino. Em casos de diarreia aguda, não se comprovou que esses produtos ajudem a tratar a patologia em adultos, ao passo que, nas crianças, ajudam a reduzir os sintomas.

Diarreia em turistas

A diarreia causada por bactérias é aquela que atinge principalmente pessoas em viagens e que entram em contato com parasitas que causam a diarreia em alimentos contaminados e na água sem tratamento adequado. Da mesma forma, mudança na alimentação causada por viagens também pode gerar esse mal, que pode se agravar para casos de diarreia líquida, com pus ou muco, acompanhada de vômitos, febre e forte perda de líquidos. Em situações desse tipo, aconselha-se consultar um médico e se hidratar intensamente.

Foto: © chingyunsong - Shutterstock.com
Publicado por Natali_CCM. Última modificação: 25 de outubro de 2017 às 13:45 por Pedro.CCM.
Este documento, intitulado 'Diarreia: remédios sem prescrição', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o CCM Saúde (saude.ccm.net) ao utilizar este artigo.