0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Pressão baixa: sintomas da hipotensão


A hipotensão arterial é uma redução da pressão do sangue - mais precisamente a diminuição da quantidade de sangue bombeado pelo coração. Ela pode ser ocasional, mas convém monitorá-la constantemente para evitar que se torne crônica.


Definição de hipotensão

A hipotensão é a redução da pressão do sangue e pode estar relacionada a várias causas. Ela pode ser temporária ou crônica e há muitos fatores de risco que podem acentuar essa condição.


Idosos são mais propensos à hipotensão porque o envelhecimento gera maior enrijecimento das paredes dos vasos sanguíneos, reduzindo a vasodilatação e comprometendo a circulação do sangue. Em gestantes, alguns hormônios da gravidez provocam redução da resistência vascular, diminuindo a tensão arterial em dois pontos.

Quem sofre de problemas cardíacos também pode ter pressão arterial baixa. Os diabéticos são atingidos pela hipotensão, assim como quem sofre de doenças que atingem o sistema nervoso: mal de Parkinson, síndrome de Guillain-Barré ou doença de Shy-Drager.

Da mesma forma, é acometido pela hipotensão quem apresenta insuficiência da glândula suprarrenal ou que realizou tratamento à base de cortisona. Pacientes com hipotireoidismo ou fadiga crônica também podem sofrer com esse problema.

Fatores de risco da hipotensão

O consumo de álcool ou maconha pode agravar o risco de hipotensão, assim como a desidratação decorrente de esforço ou atividade física e a presença em ambientes muito quentes podem se transformar em fatores de risco importantes.

Causas da hipotensão

Na maior parte dos casos, as causas da redução da pressão arterial não são evidentes. Entretanto, existem algumas possibilidades.

Hipotensão ortostática

A hipotensão ortostática se caracteriza pela redução da tensão arterial decorrente de mudança brusca de posição - sentado para em pé e vice-versa. Nesses casos, a pessoa sente vertigens, já que o sangue vai para as pernas, reduzindo seu fluxo para o cérebro. Benigno, esse tipo de hipotensão não necessita de tratamentos específicos. Há casos, porém, em que a hipotensão ortostática pode se tornar crônica.

Hipotensão ortostática crônica

Quando se transforma em crônica, a hipotensão ortostática pode ser causada por desidratação ou ingestão de alguns medicamentos, como os que combatem a hipertensão ou a disfunção erétil, antidepressivos, neurolépticos e diuréticos.

O consumo de álcool e maconha também pode gerar essa disfunção, assim como perda de peso excessiva, problemas cardíacos, insuficiência das glândulas suprarrenais, alguns tipos de alergia, problemas na tireoide e hepáticos, pausa na ingestão de cortisona e gravidez.

Hipotensão pós-prandial

Esse tipo de hipotensão surge, em geral, após as refeições, quando a digestão gera um fluxo maior de sangue no estômago e no intestino, causando redução da pressão sanguínea no restante do organismo. Esse tipo de hipotensão pode ser observado nos idosos e diabéticos, bem como nas pessoas afetadas pelo mal de Parkinson.

Hipotensão intracraniana

A hipotensão intracraniana é uma redução da pressão sanguínea no interior do crânio, podendo gerar transtornos neurológicos ou psicológicos.

Hipotensão controlada

Em alguns tipos de intervenções cirúrgicas, os médicos podem reduzir voluntariamente a pressão sanguínea. Esse é o caso de procedimentos na face, bem como no caso de cirurgias de tumores cerebrais.

Diagnóstico da hipotensão

De forma contrária à hipertensão arterial, não existe valor limite para a hipotensão. Em linhas gerais, quanto mais baixa for a pressão arterial, melhor é a condição cardiovascular do paciente. Normalmente, considera-se pressão baixa aquela que tenha sua máxima abaixo de 90 mmHg.

Sintomas da hipotensão

Entre os sintomas da hipotensão podem surgir tonturas, vertigens, cansaço, ofuscamento da visão, náuseas, taquicardia, problemas auditivos, dor de cabeça, vômitos e cansaço generalizado.

Tratamento da hipotensão

A hipotensão que surge de maneira pontual e por breves períodos não pede tratamento. Entretanto, a hipotensão crônica pode ser tratada com administração de medicamentos. Casos externos pedem a instalação de um marcapasso, dispositivo que eleva o ritmo cardíaco.

Como prevenir a hipotensão

Para evitar a hipotensão, recomenda-se, ao acordar, levantar-se com calma, sentar-se na cama e, depois, ficar em pé. Hidratar-se constantemente e consumir álcool com moderação são outras medidas. Quando estiver sentado, evitar cruzar as pernas, já que essa posição pressiona as veias e, consequentemente, compromete o fluxo adequado de sangue.

Foto: © David Orcea - Shutterstock.com
Dra. Marta Marnet

CCM Saúde é uma publicação informativa realizada por uma equipe de especialistas de saúde e redatores supervisionados pela Dra. Marta Marnet (número de registro 19741 no Colégio de Médicos de Barcelona, Espanha).

Mais informações sobre a equipe do CCM Saúde

0 Comentário